Aprende a Treinar Corrida em Passadeira

O treino “indoor” tem vindo a expandir-se gradualmente em Portugal. De entre os aparatos e máquinas existentes nos ginásios, as passadeiras têm também vindo a vulgarizar-se. O elevado preço de tal dispositivo limita praticamente a utilização das passadeiras aos ginásios, sendo rara a existência de passadeiras domésticas de qualidade.

Em maior parte dos ginásios, as passadeiras acabam por ser maioritariamente integradas em circuitos de trabalho cardiovascular, aquecimentos ou situações de utilização muito curta, mas o facto é que hoje em dia pode-se realizar boa parte de uma preparação com vista à Corrida em passadeiras.

As razões que levam à utilização de uma passadeira são geralmente as seguintes:

  1. Os dias mais curtos durante o horário de Inverno, evitando as corridas nocturnas;
  2. O trânsito automóvel e a dificuldade em correr em locais que não estejam condicionados pelos passeios, peões e semáforos;
  3. A segurança urbana, particularmente para a corredoras, evitando assim corridas em zonas inseguras;
  4. O mau tempo, mesmo sabendo que em Portugal a chuva e o frio são de fraca incidência;
  5. Residir em zonas caracterizadas por um relevo acentuado que obriga a constantes “corridas de montanha”;

 

A Utilização de passadeiras por períodos longos, como forma de simulação dos treinos de corrida tem aspectos positivos e aspectos negativos a considerar. Deves estar alertado para os mesmos:

Aspectos Positivos:

  1. Fuga ao mau tempo. Em alguns países com precipitação de neve e com gelo nos pavimentos, a corrida no exterior é mesmo impossível em certos dias!
  2. Gestão muito bem aferida dos ritmos, nomeadamente das Frequências Cardíacas de corrida. A velocidade constante imprimida consegue regular o treino para determinadas intensidades com bastante facilidade;
  3. Evitar a poluição atmosférica. Felizmente em Portugal os efeitos ainda não se fazem sentir de forma muito clara, mas em algumas cidades, torna-se infelizmente penoso correr na rua;
  4. Muito bom e motivante para principiantes na corrida. A aferição dos ritmos, durações e inclinações facilita todos aqueles que se estão a iniciar à corrida;
  5. Evitar os asfalto diariamente. Algumas grandes cidades têm ausência quase total de parques e trilhos em pisos brandos. As passadeiras podem tornar-se menos agressivas e uma boa alternativa ao asfalto e a outros tipos de pavimentos muito rijos;
  6. Fácil Gestão da companhia durante o treino. Mesmo se treinares com amigos que têm um nível muito distinto do teu, a passadeira vai permitir-te realizares toda a tua sessão lado-a-lado sem teres de forçar o andamento ou esperar pelos teus companheiros(as);

Aspectos Negativos:

  1. Correr em passadeiras não é tão específico como correr na rua. Parte da acção mecânica associada à passada de corrida é provocada pela cinta, não sendo a progressão da total responsabilidade da acções muscular;
  2. Falta de resistência do ar. A deslocação existente na rua não existe nas passadeiras, sendo este mais um factor que reduz a especificidade de correr em passadeiras;
  3. Falta de variabilidade de superfícies. Felizmente para a maioria dos corredores é possível correr em várias superfícies, sabendo que a relva, areia, terra batida são muito menos agressivas do que uma cinta em tensão e permitem à estrutura musculo-ligamentar adaptar-se a variações de pisos;
  4. Desidratação superior. A falta de circulação do ar e treino em ambientes fechados leva à elevação das temperaturas, provocando a perda de muito mais água do que no exterior. Como tal, bebe mais quando correr sobre passadeira;
  5. Monótono para alguns corredores. O prazer de uma corrida longa na mata é insubstituível para alguns. Existem locais de treino deslumbrantes, que fazem da corrida um momento fantástico de contacto com a natureza;
  6. Desadaptação às condições atmosféricas variadas. Quem gosta de competir tem também de considerar a adaptação às condições da competição, seja do piso, temperatura e outros. A corrida permanente sobre passadeiras acaba por ser considerada uma situação de “estufa” com pouca adaptação ao meio ambiente.

Podem ser desenhados múltiplos programas de treino para passadeiras, com variadíssimos objectivos. No Alto Rendimento por exemplo, as passadeiras são muito utilizadas para trabalho de velocidade e cadência de passada, tal como para o trabalho de rampas para quem estiver a preparar competições com desníveis consideráveis e queira evitar a recuperação entre repetições a descer, por vezes bastante agressiva para as costas ou articulações dos Joelhos.

Outro dos motivos que leva à inscrições num ginásio, e utilização de circuitos cardiovasculares está associado ao controlo do peso. Caso pretendas ver-te livre de alguns quilos a mais, segue a nossa proposta de plano para 8 semanas.

Este programa deverá como sempre ser acompanhado a cuidados ao nível da tua alimentação, pelo que deves consultar os conselhos dos nossos especialistas nesta área.